Páginas: 1 2 [3]   Ir para o fundo
  Imprimir  
Autor Tópico: Vitória na CAN vale uma semana de sexo grátis  (Lida 9759 vezes)
0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.
Davidze
Participante Regular
*
Offline Offline

Mensagens: 45


« Responder #30 em: 18 de Fevereiro de 2013, 21:53 »


A resposta que dei ao Bobby serve para ti...  Mr. Grin

Eu preocupo-me com os fracos.

Aqueles que correm por gosto que se defendam  Twisted Evil

PS: Mas como já disse anteriormente é um assunto do foro intimo de cada um..


 Se é do foro intimo de cada um, porque é que o individuo não pode decidir ganhar a vida pela prostituição? 
 Quem corre 'por gosto' não pode correr porque?
 Se a única opção do sujeito é a prostituição ele la pode optar entre morrer a fome ou prostituir-se não? A proibição serve para, num caso destes, lhe tirar alternativas de sobrevivência. E em casos 'normais' não é retirar das opções de cada um estilos de vida que cada um é livre de escolher ou não?
Registado
HS
Visitante
« Responder #31 em: 18 de Fevereiro de 2013, 22:24 »


Se é do foro intimo de cada um, porque é que o individuo não pode decidir ganhar a vida pela prostituição? 
 Quem corre 'por gosto' não pode correr porque?
 Se a única opção do sujeito é a prostituição ele la pode optar entre morrer a fome ou prostituir-se não? A proibição serve para, num caso destes, lhe tirar alternativas de sobrevivência. E em casos 'normais' não é retirar das opções de cada um estilos de vida que cada um é livre de escolher ou não?


Eu pela última vez vou comentar este tema:

Estão a serem ingėnuos em abordarem o tema da forma como o estão fazendo, o mundo da prostituição está associado ao mundo do tráfico de seres, da droga e da pedófilia.

Ou seja a tudo quanto o ser humano encerra de mais vil... deêm-lhes as roupagens que queiram para autorizarmos uns estamos a dar permissão a que as máfias tomem conta do negócio , pensem nos métodos que quiserem eles nesse terreno estão a anos de luz de poderem furar qualquer sistema.
Registado
Looker
Mensanos
Profeta
*
Offline Offline

Sexo: Feminino
Mensagens: 4.867



« Responder #32 em: 19 de Fevereiro de 2013, 00:00 »


Eu pela última vez vou comentar este tema:

Estão a serem ingėnuos em abordarem o tema da forma como o estão fazendo, o mundo da prostituição está associado ao mundo do tráfico de seres, da droga e da pedófilia.

Ou seja a tudo quanto o ser humano encerra de mais vil... deêm-lhes as roupagens que queiram para autorizarmos uns estamos a dar permissão a que as máfias tomem conta do negócio , pensem nos métodos que quiserem eles nesse terreno estão a anos de luz de poderem furar qualquer sistema.


A situação é que também não serão associações tipo ninho que irão resolver o problema, por muita vontade que o Padre Feytor Pinto tenha. Poderão resolver casos pontuais, mas também não resolverão os problemas de que falas.
Qual é, então, a solução no teu entender para os casos que mencionas?
Para mim, a solução passa pela legalização e pela organização da classe, tal como em todas as classes profissionais. E para ti?


[editando]
Estive a ler a informação no site do ninho.
Duvido que alguma vez se consiga eliminar a prostituição. Para que a prostituição que conhecemos deixasse de existir era necessário que nos livrássemos de 2000 anos da tradição judaico-cristã sobre o sexo. Enquanto o ato sexual for visto como um pecado, enquanto a mulher for vista como um ser menor (ainda o é, não nos iludamos) haverá sempre prostituição e máfia a ela ligada.
[/editando]
« Última modificação: 19 de Fevereiro de 2013, 00:31 por Looker » Registado
HS
Visitante
« Responder #33 em: 19 de Fevereiro de 2013, 12:06 »


A situação é que também não serão associações tipo ninho que irão resolver o problema, por muita vontade que o Padre Feytor Pinto tenha. Poderão resolver casos pontuais, mas também não resolverão os problemas de que falas.
Qual é, então, a solução no teu entender para os casos que mencionas?
Para mim, a solução passa pela legalização e pela organização da classe, tal como em todas as classes profissionais. E para ti?

[editando]
Estive a ler a informação no site do ninho.
Duvido que alguma vez se consiga eliminar a prostituição. Para que a prostituição que conhecemos deixasse de existir era necessário que nos livrássemos de 2000 anos da tradição judaico-cristã sobre o sexo. Enquanto o ato sexual for visto como um pecado, enquanto a mulher for vista como um ser menor (ainda o é, não nos iludamos) haverá sempre prostituição e máfia a ela ligada.
[/editando]


Se existe algo em que a igreja católica é válida é nas prestações sociais que efectua.

Resolver o problema de fundo, nenhuma instituição o poderá fazer, mas mesmo que só consiga ajudar uma pessoa que seja… para mim já valeu…  Sorri

Quanto à resolução do problema, passará pela revolução de mentalidades e pela melhor equidade de condições de vida para todos.

Eu sou a favor de um estado social, em que o básico seja provido a todos, (habitação, educação e saúde) independentemente do merecimento ou não, ou do pouco que tenha contribuído para tal. Quem tem perninhas para andar que consiga melhor.

Poderá estar contemplado na Constituição mas na prática muito ou pouco tem funcionado.

Passo a explicar:

Dir-me-ás,  mas isso não é justo eu farto-me de trabalhar e outros que não se esforçam nem um terço da minha labuta, vão usufruir dos meus proventos.

Será uma das formas de esbateres as injustiças sociais e de contribuíres para o melhoramento da sociedade num todo e por consequência a prostituição, tráfico de seres, droga, pedofilia etc.

Uma sociedade sendo mais culta, estará mais desperta.

Fórmulas mágicas não existem, mas se o homem enquanto cidadão for motivado a olhar para o seu semelhante que vive ao seu lado, talvez consigamos uma revolução das mentes, que passa intrinsecamente pelo respeito, o saber ouvir e respeitarmos os outros não pelas semelhanças mas pelas diferenças.

E teríamos infinitas razões para continuarmos a debater este tema, mas por aqui fico.  Rola os olhos

Ao falar deste tema fez-me recordar o Poema de António Gedeão (A Pedra Filosofal)  Estamos contigo

<a href="http://www.youtube.com/watch?v=9r6FqT7F1s0" target="_blank">http://www.youtube.com/watch?v=9r6FqT7F1s0</a>

Registado
bobbyboy
Mensanos
Ícone
*
Offline Offline

Sexo: Masculino
Mensagens: 2.161


« Responder #34 em: 19 de Fevereiro de 2013, 18:27 »


Não não estamos, tu queres vulgarizar o que é do foro íntimo de cada um e transformá-lo num negócio


Eu não quero transformar em coisa nenhuma. Eu quero que o que é o do foro íntimo de cada um se mantenha no foro íntimo de cada um, sem que haja moralistas da treta a querer atirar-lhes pedras (lembra-te alguma coisa?) só porque acham que as suas actividades íntimas são pecado. Não fosse a moralidade católica ensinar que sexo é pecado* e não estaríamos sequer a discutir isto. Como ninguém estaria a discutir preservativos ou casamentos gays ou todas as outras coisas que são do foro íntimo de cada um e que ninguém tem direito a autorizar ou proibir e só a porcaria da religião é que faz as pessoas acharem que têm direito a decidir sobre a intimidade dos outros.

Tens o direito de discordar das opções que as pessoas fazem, não tens o direito de as proibir. Por que raio é que isto é tão difícil de perceber? Combata-se a exploração em todas as profissões, não a opção pessoal por esta profissão ou aquela.




*os mesmos que não têm problemas nenhuns em violar crianças e ameaçar as famílias que serão excomungadas se fizerem queixa à polícia, mas isto é desconversar...
Registado

"Those who would give up essential liberty to purchase a little temporary safety deserve neither liberty nor safety."

Benjamin Franklin
HS
Visitante
« Responder #35 em: 19 de Fevereiro de 2013, 19:27 »


Eu não quero transformar em coisa nenhuma. Eu quero que o que é o do foro íntimo de cada um se mantenha no foro íntimo de cada um, sem que haja moralistas da treta a querer atirar-lhes pedras (lembra-te alguma coisa?) só porque acham que as suas actividades íntimas são pecado. Não fosse a moralidade católica ensinar que sexo é pecado* e não estaríamos sequer a discutir isto. Como ninguém estaria a discutir preservativos ou casamentos gays ou todas as outras coisas que são do foro íntimo de cada um e que ninguém tem direito a autorizar ou proibir e só a porcaria da religião é que faz as pessoas acharem que têm direito a decidir sobre a intimidade dos outros.

Tens o direito de discordar das opções que as pessoas fazem, não tens o direito de as proibir. Por que raio é que isto é tão difícil de perceber? Combata-se a exploração em todas as profissões, não a opção pessoal por esta profissão ou aquela.

*os mesmos que não têm problemas nenhuns em violar crianças e ameaçar as famílias que serão excomungadas se fizerem queixa à polícia, mas isto é desconversar...


1º Explica-me porque tens sempre que imprimir um ar tão inflamado  Lixado com "F" grande

2º O mundo desde que é mundo que discute o Bem e o Mal e entraremos num problema filosófico sem fim à vista  Rola os olhos

3º Eu não proíbo, simplesmente não vais fazer-me aceitar ideais em que não acredito... para mim só vês a praticabilidade da questão. As consequências que dai advêm não as queres ver. Fixe

4ª Aposta na cultura no desenvolvimento da Sociedade e o problema será resolvido a seu tempo.  Piscadela


Registado
Davidze
Participante Regular
*
Offline Offline

Mensagens: 45


« Responder #36 em: 19 de Fevereiro de 2013, 19:41 »


Consequências? Ora analisemos direito as consequências:
 Neste momento toda a prostituição é ilegal, sendo toda ela ilegal, se existe e porque 'não sabem' que ela está la... E, quem quiser recorrer a prostituição terá de ir à ilegal. Esta prostituição tem os tais riscos de exploração, assim como riscos para a saúde e riscos para o cliente (em caso de ser apanhado...) sendo por isso claramente menos competitiva que uma prostituição legalizada e com regulamentos apertados.
 Se houver uma prostituição legal, quase toda a procura irá recorrer à leal pois apresenta dezenas de vantagens, e basta fazer com que, para que seja legal, tenha de cumprir montes de requisitos e de 'supervisão' por parte de uma agência estatal, o que torna bastante mais difícil o aparecimento de exploração de facto no sector. Com quase toda a procura a ir para lá, que tipo de mercado esperam os tais exploradores terem para escoar os ditos produtos? Quem é o corno que vai recorrer a uma prostituição menos segura quer a nivel de saude como a nivel judicial, para nao falar nos custos extras para cobrir o risco daqueles que a organizam, quando se pode recorrer a um mercado supervisionado, seguro e legal? Tirando certos casos de fetishes por menores e outros absurdos que tais, nao imagino ninguem. Agora, se me quiseres explicar como é que a legalização vai prejudicar o trafico tendo em conta tudo o que eu disse, agradecia. 
Registado
bobbyboy
Mensanos
Ícone
*
Offline Offline

Sexo: Masculino
Mensagens: 2.161


« Responder #37 em: 23 de Fevereiro de 2013, 18:53 »


3º Eu não proíbo, simplesmente não vais fazer-me aceitar ideais em que não acredito...


E eu que pensava que esta discussão era sobre se a prostituição deve ser legalmente proibida ou não. Devo ter debatido este tópico enquanto estava num Universo paralelo...
Registado

"Those who would give up essential liberty to purchase a little temporary safety deserve neither liberty nor safety."

Benjamin Franklin
HS
Visitante
« Responder #38 em: 23 de Fevereiro de 2013, 19:31 »


E eu que pensava que esta discussão era sobre se a prostituição deve ser legalmente proibida ou não. Devo ter debatido este tópico enquanto estava num Universo paralelo...


Tu num universo paralelo!.. enquanto estiveres impregnado desse pragmatismo bacoco em que a ciência  tem resposta para tudo, não tem nem nunca terá.

Abre essa mente questiona mais e afirma menoe talvez la chegues.

E se queres uma resposta directa, a prostituição não deve ser legalizada. Teria consequências para os mais fracos. Sorri
 
Registado
bobbyboy
Mensanos
Ícone
*
Offline Offline

Sexo: Masculino
Mensagens: 2.161


« Responder #39 em: 24 de Fevereiro de 2013, 16:53 »


Eu não proíbo


a prostituição não deve ser legalizada.


Afinal em que é que ficamos? Proíbes ou não proíbes?
Registado

"Those who would give up essential liberty to purchase a little temporary safety deserve neither liberty nor safety."

Benjamin Franklin
HS
Visitante
« Responder #40 em: 24 de Fevereiro de 2013, 17:29 »


Afinal em que é que ficamos? Proíbes ou não proíbes?




Bobby

Não faças malabarismos com a intenção de cada um, o assunto é sério e deve ser referendado.

Eu sou a favor do Amor incondicional, da forma como o sentimos é a forma como emitidos as nossas vibrações influenciam o planeta.

Ao promoveres a luxúria estás a regredir no sentido do qual devemos evoluir. Não é o sexo pecaminoso mas sim a simples moeda com que o pretendes praticar ou seja vulgaridade plena sem sentimento... Sendo assim com qualquer brinquedo  o poderas praticar Sorri

Quanto á  proibição estás a outorgar-me um poder que não tenho nem pretendo é a mente das pessoas que tem de mudar
Registado
omni
Mensanos
Oráculo
*
Offline Offline

Mensagens: 3.162



« Responder #41 em: 24 de Fevereiro de 2013, 19:55 »


Vê-se mesmo que não têm mais nada que fazer... Rola os olhos ...que desperdício de tempo.
Registado

You don´t play because you get old Rebenta a bolha! you get old because you don´t play.
If you want to stay alive, live, and restart to enjoy living Flores you live as long as you like living.
Páginas: 1 2 [3]   Ir para o topo
  Imprimir  
 
Ir para:  


Termos de Utilização | Política de Privacidade | F.A.Q. | Admissão | Teste Diagnóstico

SimplePortal 2.3.3 © 2008-2010, SimplePortal