Páginas: 1 [2]   Ir para o fundo
  Imprimir  
Autor Tópico: Pergunta Simples  (Lida 5529 vezes)
0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.
Anonymous
Visitante
« Responder #15 em: 10 de Janeiro de 2004, 23:04 »


Citar
OBJECTIVOS
Os objectivos do Grupo de Membros Portugueses da Mensa são os seguintes:

Criar uma National Mensa em Portugal;
Divulgar e promover a Mensa e os seus objectivos;
Contribuir para a evolução da sociedade Portuguesa.

Os objectivos da Mensa são os seguintes:

Identificar e cultivar a inteligência humana para o benefício da Humanidade;
Proporcionar um ambiente social e intelectualmente estimulante para seus membros;
Encorajar pesquisas sobre a natureza, características e usos da inteligência.


De que maneira é que esta contribuição está a ser feita, ou, de que forma é que estão a pensar fazê-la?
Registado
Fulano
Mensanos
Ícone
*
Offline Offline

Sexo: Masculino
Mensagens: 1.715


Diabo em forma de gente


« Responder #16 em: 10 de Janeiro de 2004, 23:14 »


Quando nos dá uma vontade muito grande de fazer alguma coisa, calmamente sentamo-nos e esperamos que passe!
 Mr. Grin


As frases de apresentação são necesariamente pomposas...
O "objectivo" é pôr em contacto o top da inteligência e esperar esperançosamente que nasça a luz. Entretanto vamo-nos divertindo.
Imagine que no tempo das cavernas conseguia reunir o top 2% dos nossos antepassados mais inteligentes e os punha a conviver.
Seria a roda inventada mais cedo? A escrita? Não sabemos, mas teria sido uma experiência gira.
 Rola os olhos
Registado

Dizem que a Fé move montanhas, mas a dinamite então...[/b]
Jorge Mota
Mensanos
Profeta
*
Offline Offline

Sexo: Masculino
Mensagens: 4.241


ut praesset noctis


WWW
« Responder #17 em: 11 de Janeiro de 2004, 13:07 »


Citação de: Anonymous
De que maneira é que esta contribuição está a ser feita, ou, de que forma é que estão a pensar fazê-la?

Como é óbvio, não podemos juntar um exército em Braga, pegar em armas e marchar sobre Lisboa para a libertar da Primeira República e instaurar o Estado Novo! Quanto mais não seja, porque não temos dinheiro suficiente para contratar tal exército. Nesse aspecto, de tomar Lisboa pela força, os espanhóis estão a ter mais sucesso... Mr. Grin
Penso que o importante é existirmos, estarmos disponíveis, sermos conhecidos pelas pessoas, para as podermos orientar das maneiras que nos forem solicitadas. Não podemos mandar na sociedade civil, muito menos na militar, não podemos influenciar o governo português (isso é mais ali com os colegas do lado), mas podemos fazer ouvir as nossas idéias e opiniões, sobretudo sobre a própria natureza da idéia e da opinião, assuntos infelizmente esquecidos pela sociedade portuguesa.
Fomentar o debate é fundamental, agora o que as pessoas irão fazer com o que aprenderem nesse debate...
Podemos levar o cavalo à àgua, não o podemos obrigar a beber.
Registado

Não tenho nada contra gays, desde que não sejam homossexuais...
eangelo
Mensanos
Oráculo
*
Offline Offline

Mensagens: 2.615



« Responder #18 em: 11 de Janeiro de 2004, 13:39 »


Citar

De que maneira é que esta contribuição está a ser feita, ou, de que forma é que estão a pensar fazê-la?


Contrariamente ao que fulano indicou a roda seria certamente inventada mais cedo, sempre que se conseguiu reunir figuras de topo houve resultados brilhantes ...  lembro a bomba atómica, o transistor, o computador electrónico entre outros.

Nos países onde houve uma clara selecção de cérebros (p.e. USA e URSS), houve grandes avanços cientificos. Lembro que as empresas japonesas (p.e. Sony) fomentam a inteligência, qualquer empregado que tenha boas ideias é encorajado a apresentá-las ao grupo de engenharia de produto, e em muitos casos a juntar-se a eles.

Em Portugal por enquanto a política é a da mediocridade, encoraja-se o silêncio e o cinzentismo, quem tiver boas ideias é melhor "não se armar em esperto" o próprio estado abençoa este principio não reconhendo escolas para pessoas sobredotadas, ou que estas pessoas existam.

Existe muito por fazer, e é díficil indicar tudo o que podemos fazer. Por um lado a sociedade portuguesa começou nos últimos anos a ouvir falar de QI, mas essa divulgação ainda não foi devidamente sistematizada, existe também a necessidade de obter reconhecimento e aceitação por parte da comunidade cientifica e política (sim também eles).

Cada vez que conseguimos um artigo, uma noticia, uma referência num web site estamos mais perto dos nossos objectivos.

Eliseu Ângelo
Registado

Eliseu Ângelo
---- < > -----
Natural ability without education has more often attained to glory and virtue than education without natural ability.
Jorge Mota
Mensanos
Profeta
*
Offline Offline

Sexo: Masculino
Mensagens: 4.241


ut praesset noctis


WWW
« Responder #19 em: 11 de Janeiro de 2004, 13:52 »


Estive a pensar e lembrei-me de uma coisa: dizer às pessoas quantas respostas certas necessitam no teste, além de ser errado (o valor varia com a idade), pode fazer com que os candidatos futuros percam mais tempo a contar quantas acham estar certas, em vez de se concentrarem em responder às perguntas todas.
Da minha experiência com estas sessões de testes, pude perceber que muitos candidatos perdem tempo a responder bem às primeiras perguntas para terem a certeza de que têm um número mínimo de respostas certas, e depois despacham as restantes...
Vamos concentrar a nossa atenção e esforço nas 36 perguntas e esquecer quantas são as necesárias, para evitar distrair as pesosas, OK?

Eliseu... pessoas inteligentes é que inventaram a bomba atómica?... a sério? Mas só pessoas muito imbecis é que a usaram, certo? :-)
Registado

Não tenho nada contra gays, desde que não sejam homossexuais...
eangelo
Mensanos
Oráculo
*
Offline Offline

Mensagens: 2.615



« Responder #20 em: 11 de Janeiro de 2004, 14:50 »


A sua utilização pode ser ou não uma demonstração de inteligência ... eles estavam a preparar-se para gasear meio japão com um agente nervoso ... e além disso se não a tivessem utilizado os russos poderiam estender a viagem a outras capitais ... enfim, polémica é de certeza.

EA
Registado

Eliseu Ângelo
---- < > -----
Natural ability without education has more often attained to glory and virtue than education without natural ability.
romainsimoni
Mensanos
Participante Lendário
*
Offline Offline

Mensagens: 647



« Responder #21 em: 11 de Janeiro de 2004, 15:57 »


Citar

Nota do Moderador(Jorge Mota)


Poderia simplesmente ter indicado que não há nenhuma confirmação à respeito do número de respostas correctas necessárias para um QI de 132, por parte da Mensa (ou seja, que ela não publica esta informação). Agora, omitir a minha mensagem?! Bem...

A informação que obtive foi através de gráficos feitos nos estudos do Xavier Jouve, e nada tem a ver com a Mensa (estudos livremente publicados na internet).

O que fizeste, não tem cabimento.
 Rola os olhos
Registado

Era uma vez um pobre homem, tão pobre que tudo o que tinha era só dinheiro.
cpsimoes
Web Junkie
Menѕanoѕ
Ícone
*
Offline Offline

Sexo: Masculino
Mensagens: 2.264



WWW
« Responder #22 em: 11 de Janeiro de 2004, 19:43 »


Citação de: romainsimoni

O que fizeste, não tem cabimento.
 Rola os olhos


Romain, por acaso até acho que tem. Tem todo o meu apoio e não o fiz eu porque já estou farto de ser o mau da fita.

Antes da existência deste fórum e do website do GMP, a grande maioria dos que realizaram o teste de admissão chegaram à sala de teste sem saberem o que os esperava: nem quantas questões, nem de que tipo, nem quanto tempo tinham disponível e muito menos quantas eram necessárias responder correctamente para se reunirem as condições de admissão.

Aqui já se chegou ao ponto de se insinuarem possíveis respostas a alguns itens do teste.

Além do mais, o Jorge tem razão. O valor de respostas correctas varia em função da idade. Junte-se a isso o facto do estudo do Xavier (que ele me enviou há poucos dias), se basear na revisão da norma datada de 1993 (Des Moines standardization, 1993). Nada garante que a MI esteja a usar esta norma, de facto outras fontes de outras sociedades dizem que a Mensa está a usar uma norma mais antiga.

Portanto toda esta discussão à volta do teste de admissão em nada contribui para a credibilidade do teste, não contribui decerto para "ajudar" os candidatos e vai contra as indicações da Mensa no que diz respeito às referências públicas que se fazem ao teste de admissão.

A teimosia de alguns utilizadores em discutir o teste neste fórum ainda vai ter como consequência que a MI e o seu psicólogo supervisor nos retirem (a este grupo GMP) a autorização para supervisionarmos sessões de teste em Portugal.

Portanto, o que o Jorge fez, como moderador, como mensano e como membro deste grupo, tem todo o cabimento.

A política de remoção de toda e qualquer informação relativa ao teste de admissão irá continuar a ser aplicada sem contemplações, pelo que vos aconselho, e a fim de evitar potenciais situações de conflito que não se justificam, a não continuarem a discutir este teste e/ou a responder a questões como as que deram origem a esta conversa que agora estamos a ter.

Quem quiser discutir este teste, procure outros fóruns. Como o Romain bem assinalou, muita informação está disponível na web para quem quiser e souber procurar.
Registado

Fala pouco, lê muito, observa tudo...
Looker
Mensanos
Profeta
*
Offline Offline

Sexo: Feminino
Mensagens: 4.867



« Responder #23 em: 11 de Janeiro de 2004, 23:26 »


Citação de: eangelo
Em Portugal por enquanto a política é a da mediocridade, encoraja-se o silêncio e o cinzentismo, quem tiver boas ideias é melhor "não se armar em esperto" o próprio estado abençoa este principio não reconhendo escolas para pessoas sobredotadas, ou que estas pessoas existam.


Ai que verdade tão grande... Chorar



Saudações,
Looker
Registado
romainsimoni
Mensanos
Participante Lendário
*
Offline Offline

Mensagens: 647



« Responder #24 em: 12 de Janeiro de 2004, 01:26 »


Citação de: cpsimoes

Portanto toda esta discussão à volta do teste de admissão em nada contribui para a credibilidade do teste, não contribui decerto para "ajudar" os candidatos e vai contra as indicações da Mensa no que diz respeito às referências públicas que se fazem ao teste de admissão.


Pede-se a informação, e eu forneço de bom grado. Confesso o erro de não ter especificado que a fonte não provém da Mensa, mas de estudos paralelos, o que já tinha referenciado na mensagem anterior.

Se isto pode ajudar ou atrapalhar os candidatos, os mesmos tem que decidir qual o caminho correcto para eles. Sou contra a política do "para o seu bem, faço isso", prefiro optar pelo "pergunta-me que eu te respondo, mas a credibilidade e/ou veracidade das informações são para serem ou não levadas em consideração por quem as solicitou."

Lembrei-me do teste disponível na Mensa dinamarquesa, onde publicamente faz-se alusões aos ítens presentes no RAPM, sendo que apenas as formas das figuras estão camufladas, tudo o resto tira o crédito do RAPM, bastando que o examinado tenha um mínimo de bom senso, e memória. No entanto, ele continua lá...

Acho que a política de censura, embora necessária para se manter a integridade e validade dos testes, encontra-se infelizmente muito deturpada.

 
Registado

Era uma vez um pobre homem, tão pobre que tudo o que tinha era só dinheiro.
Páginas: 1 [2]   Ir para o topo
  Imprimir  
 
Ir para:  


Termos de Utilização | Política de Privacidade | F.A.Q. | Admissão | Teste Diagnóstico

SimplePortal 2.3.3 © 2008-2010, SimplePortal